Gorilas em Ruanda
e Parques Nacionais dos EUA

Gorilas em Ruanda e Parques Nacionais nos EUA

Ruanda

[Publicado em 04/11/2019]

Vivenciar experiências diferentes já deixou de ser uma tendência em turismo para se tornar um estilo de viajar. A Queensberry tem um cardápio extenso delas. Duas são consideradas indescritíveis, inesquecíveis e incomparáveis. A primeira é o programa do GBM (Caderno Novas Tendências) Os Magníficos Parques Nacionais Americanos.

O roteiro percorre os mais bonitos parques do território americano atravessando os estados do Arizona, Utah, Wyoming e Dakota do Sul. Além das belezas naturais, que, por si só já seriam uma experiência e tanto, o programa tem grandes diferenciais como: hospedagem em lodges espetaculares dentro dos parques, o que proporciona vistas de tirar o fôlego e acesso às atrações quando estão mais vazias; além dos guias altamente qualificados da Queensberry, apoio de guias locais que moram na região; percurso terrestre em ônibus com apenas 40 poltronas e janelas panorâmicas; e alguns jantares especiais para apresentar a gastronomia local.

Confira, a seguir, os destaques do roteiro estado por estado:

ARIZONA

Parques: o indescritível Parque Nacional Grand Canyon, com suas rochas multicoloridas, penhascos surpreendentes e ravinas deslumbrantes; e Monument Valley Navajo Tribal Park, marcado por uma paisagem desértica com formações avermelhadas de arenito, pináculos estreitos e montes maciços em terras pertencentes à tribo Navajo.

Cidade: Scottsdale, uma das mais tradicionais da região, concentra spas que oferecem experiências singulares e o maior shopping center do Arizona.

Hospedagem: National Park Lodges, dentro do majestoso parque.

Atração especial: cruzeiro pelo Lake Powell para admirar as cores, a atmosfera natural e as formações rochosas do Antelope Canyon, uma das paisagens mais fotogênicas do mundo.

UTAH

Parques: Bryce Canyon, cujas formações geológicas se deram pelas ações de congelamento e derretimento da água, criando um cenário espetacular e único, com um mar de pináculos rochosos vermelhos; e Zion National Park, com paisagens de grande beleza rodeadas por montanhas.

Cidade: Salt Lake City, a capital do Utah e importante centro financeiro e comercial do Oeste americano. Fortemente marcada pela presença dos mórmons, abriga, na Praça do Templo, a monumental sede da igreja.

Hospedagem: Zion National Park Lodge, localizado no coração do parque.

WYOMING

Parques: Grand Teton National Park, repleto de picos irregulares, lagos alpinos de águas cristalinas e florestas verdejantes vívidas; e Yellowstone National Park, o primeiro parque nacional do mundo, famoso pelos gêiseres espetaculares e fontes termais naturais, além de ser um santuário da vida selvagem para centenas de espécies como ursos negros e bisões.

Cidade: Jackson, um autêntico cenário de velho-oeste localizado em um vale íngreme montanhoso da cordilheira Teton.

Hospedagem: Yellowstone National Park Lodges, que abriga, em sua área, um espetacular gêiser e piscinas de águas sulfurosas.

DAKOTA DO SUL

Parque: Custer State Park, rodeado pelas gigantescas montanhas pontiagudas na região de Black Hills.

Cidade: a histórica Deadwood, típica cidade do meio-oeste americano.

Hospedagem: State Game Lodge.

Atrações: acesso especial ao Memorial Crazy Horse, dedicado aos nativos americanos e que ainda está sendo esculpido na rocha; e visita ao famosíssimo Monte Rushmore, onde estão esculpidos os rostos dos quatro grandes presidentes dos Estados Unidos.

ENTRE GORILAS

Outra experiência indescritível, inesquecível e incomparável é o emocionante encontro com os gorilas-das-montanhas no Parque Nacional dos Vulcões, em Ruanda – país localizado na África centro-oriental. Observar umas das espécies mais ameaçadas de extinção do planeta, em seu hábitat natural, é um privilégio para quem busca uma vivenciar algo diferente de tudo o que se pode imaginar.

Zagueiro brasileiro do Arsenal, o jogador de futebol David Luiz viveu essa emoção recentemente: “Visitar os gorilas-da-montanha no Parque Nacional dos Vulcões de Ruanda com a minha família foi simplesmente incrível. Obrigado aos rangers, trackers, guias e às comunidades locais por tudo o que fazem para cuidar desses lindos animais!!! Muito feliz porque o número de gorilas está crescendo e eu mal posso esperar para voltar. Vá e veja você mesmo!!”, compartilhou no seu perfil no Instagram.

A EXPERIÊNCIA

A saída em direção ao hábitat, situado na base do vulcão Sabinyo, acontece de manhã cedo. Ao longo do caminho, os guias do parque explicam em detalhes  as regras e o comportamento que deverá ser adotado durante a caminhada e observação dos gorilas. Não é permitido tocar, para evitar a transmissão de doenças, nem encarar os animais.

Inicialmente, os turistas são apresentados a uma família mais habituada com a presença humana. A caminhada continua em busca de outras famílias, podendo levar até 6 horas, pois, soltos na natureza, os gorilas precisam ser rastreados e localizados.

Publicado na Q Travel Experiences número 5, o depoimento da passageira da Queensberry Sylvia Maria Affonso da Silva, dá a dimensão do encontro: “No momento em que chegamos, os gorilas estavam comendo e descansando. O café da manhã já havia passado, mas alguns ainda beliscavam cipós. Uma das mães que estava com o bebê bem próximo percebeu minha chegada. Consegui interagir com ela, porque o guia nos ensinou alguns sons… Fiz um som para que ela se tranquilizasse e o bebê se aproximou”.

Vale destacar que é preciso obter uma permissão especial para o passeio e fazer a reserva com a maior antecedência possível, dada a limitação do número de pessoas autorizadas a caminhar na região por dia.

Post anterior
Toronto: ótima em qualquer época do ano
Próximo post
Anguilla, tudo o que há de melhor no Caribe

Nenhum Comentário

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*

*

Back
SHARE

Gorilas em Ruanda e Parques Nacionais nos EUA