Zâmbia
A natureza como espetáculo

Zâmbia: A natureza como espetáculo

Zâmbia

[Publicado em 06/12/19]

O barulho chega a ser ensurdecedor e a névoa formada pelas gotículas d´água dá um certo ar fantasmagórico à paisagem, mesmo assim não há incômodo, apenas admiração diante de tanta beleza. Admiração, aliás, é a reação mais comum diante de Victoria Falls – as espetaculares cataratas localizadas na fronteira entre Zâmbia e Zimbábue, no centro-sul do continente africano.

Listada entre as sete maravilhas naturais do mundo, Victoria Falls ganhou o nome ocidental em 1855 quando foi descoberta pelo missionário e explorador britânico David Livingstone (1813-1873), que a batizou em homenagem à Rainha Victoria. Para as tribos locais, sempre foi Mosi-oa-Tunya – A fumaça que troveja –, descrição perfeita do que acontece quando as águas do rio Zambeze mergulham no abismo de 1.700 metros de largura e mais de 120 metros de profundidade. O estrondo das águas pode ser ouvido a 40km de distância, e a névoa, vista 50km além.

Zâmbia
Passeio de barco pelo Rio Zambeze ao cair da tarde (acima). No alto, memorial a David Livingstone e Victoria Falls

É possível visitar as cataratas nos parques nacionais de Victoria Falls (no Zimbábue) e Mosi-oa-Tunya, em Zâmbia. Logo na entrada deste último, uma estátua lembra Livingstone, também homenageado com uma cidade com seu nome. Próxima ao rio Zambeze, a pequena Livingstone é a porta de entrada para a visita às cataratas e a base para uma série de atividades e aventuras ao ar livre: canoagem, rafting, bungee jumping, safáris nas costas de elefantes e muitas outras.

Zâmbia
Aventura radical: rafting na área das cataratas de Victoria Falls

Zâmbia
Vista de cima: turistas sobrevoam as impressionantes cataratas

Uma das mais emocionantes é o passeio em barco pelo rio Zambeze – quarto maior da África, o rio nasce na Zâmbia e percorre mais de 2.500km no continente até atingir o Oceano Índico. Realizado ao cair da tarde, permite a observação da vegetação ribeirinha e da fantástica vida selvagem que beira o rio – não é difícil avistar elefantes e antílopes pastando às margens ou nas ilhas menores. E ainda por cima proporciona um pôr do sol dos mais fantásticos do planeta.

PAÍS DAS SAVANAS

Apesar de não ter saída para o mar, Zâmbia tem um clima tropical agradável, amenizado pela altitude, pois fica num planalto. Savanas cobrem a maior parte do seu território e abrigam uma grande variedade de animais, o que favorece as descobertas da vida selvagem em safáris fotográficos.

Zâmbia
As savanas cobrem a maior parte do território de Zâmbia e abrigam grande variedade de animais

A influência ocidental é grande no país – foi uma das colônias britânicas no continente fundada como Rodésia do Norte (o hoje Zimbábue era a Rodésia do Sul) –, sendo o idioma oficial o inglês e a religião predominante o cristianismo. No entanto, abriga mais de 70 grupos étnicos – algumas aldeias são abertas para a visitação de turistas, que podem conhecer as construções feitas com material local, utilizando argamassa, troncos e palha, além dos hábitos e culinária tradicionais.

TERRA DOS GIGANTES

Para aproveitar a proximidade, a visita a Zâmbia pode incluir um safári pelo espetacular Parque Nacional Chobe. Localizado no norte da República de Botsuana, junto às fronteiras da Namíbia, Zimbábue e Zâmbia, o parque se estende ao longo do deslumbrante rio Chobe e compreende mais de 10 mil km² de ricos ecossistemas, paisagens diversas e uma abundância quase incomparável de vida selvagem: manadas de elefantes e búfalos, hipopótamos, crocodilos e uma grande variedade de espécies de pássaros. Não à toa, é carinhosamente conhecido como A Terra dos Gigantes. Como nos demais safáris, ali, a câmera fotográfica, ou o celular, à mão é um item obrigatório, pois a qualquer momento a natureza pode surpreender maravilhosamente.

Zâmbia
Zâmbia
Hipopótamos, aves diferentes, impalas e elefantes: atrações do Parque Nacional Chobe, em Botsuana

DICA DE VIAGEM

A Queensberry acaba de lançar um roteiro do GBM – Grupos Brasileiros no Mundo que combina três noites em Livingstone, para se emocionar com Victoria Falls e o Parque Nacional Chobe, com grandes atrações da África do Sul, percorrendo a Rota do Vinho, a linda Cape Town e Johannesburg. Confira abaixo:

Post anterior
"Podres de Ricos" em Cingapura
Próximo post
The Lanesborough: o nº 1 de Londres

Nenhum Comentário

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*

*

Back
SHARE

Zâmbia: A natureza como espetáculo