SÍMBOLOS DO NATAL: descubra a origem e seus significados

Publicado em 27/11/2020

Estrelas, sinos, guirlandas, presépios… alguns podem não saber, mas os enfeites que nessa altura do ano encontramos espalhados por todos os cantos, estão repletos de significados e histórias. Além dos enfeites, existem também muitos símbolos que com origens em épocas distintas e em diversos países do mundo, surgiram não só porque são bonitos e trazem mais beleza e alegria, mas porque têm uma curiosa história para contar e, desta forma, uma mensagem a transmitir. As versões são as mais variadas! Confira abaixo, alguns símbolos e histórias mais significativas dessa festividade, que é uma das mais esperadas do ano!

TRÊS REIS MAGOS, SINOS E ESTRELA
Belchior, Gaspar e Baltazar: Três Reis Magos que visitaram Jesus quando ele nasceu. Embora sejam chamados de reis, na verdade, eram sábios que viajaram das suas terras com o intuito de visitar o Menino Jesus e adorá-lo. Belchior veio da Europa, Gaspar da Ásia e Baltazar da África. Cada um deles ofereceu ao Menino ouro, incenso e mirra, respectivamente e pelo fato de Jesus receber esses presentes, foi que a troca de presentes se tornou tradição no Natal. Os restos mortais dos reis magos, se encontram hoje na catedral de Colônia, na Alemanha.

Além de sinalizar as horas em muitas catedrais pelo mundo, o toque dos sinos também é um aviso para que as pessoas se reúnam para algum acontecimento. No Natal, é o símbolo que representa o anúncio do nascimento de Jesus. Usados na decoração das árvores e das portas, os sinos também são lembrados nas músicas natalinas. Como não se lembrar da música “Bate o sino pequenino”, não é mesmo?

Já a estrela, usada em especial no topo da árvore de Natal, é conhecida como a Estrela de Belém, uma referência entre os cristãos, ao nascimento de Jesus. Foi seguindo uma estrela, que os reis magos puderam encontrar o Menino, que tinha nascido em Belém. O fenômeno do aparecimento da estrela ainda não foi desvendado pelos astrônomos, os quais continuam a estudar a sua origem.

símbolos

VELAS E BOLAS
As velas tradicionais de Natal, geralmente são as de cores verde, vermelha, branca e dourada e representam a boa vontade. O costume de acender velas no Natal, vem de uma lenda alemã onde um senhor costumava colocar velas na sua janela para iluminar o caminho dos viajantes e assim, evitar que eles se perdessem devido à escuridão da noite ou da neve. Com o tempo, esse costume foi mesclado aos da igreja e a vela ganhou como símbolo, Jesus. Assim, velas acesas na noite de Natal revelam a presença de Cristo no ambiente.

Elemento decorativo que não pode faltar no Natal, as bolas coloridas substituíram as frutas, que antigamente, eram colocadas na árvore de Natal, com destaque para as maçãs vermelhas e bem brilhantes que as crianças comiam na Festa de Reis. Mas foi em 1.847 que Hans Greiner, mestre vidraceiro de Lauscha, Alemanha, querendo agradar seus filhos, imitou com vidro as frutas e nozes que decoravam as árvores natalinas. Anos mais tarde, quando houve uma grande seca que eliminou as maçãs e outras frutas da região, iniciou-se a produção das tradicionais bolas de Natal, que atualmente, existem de todos os tamanhos e para todos os gostos.

símbolos

PRESÉPIO E GUIRLANDA
O primeiro presépio data de 1223 e foi montado na Itália por São Francisco de Assis, que queria mostrar aos fiéis como teria nascido Jesus. Inicialmente era montado apenas em igrejas, até a sua montagem nas casas se tornar tradição. Habitualmente é desmontado no dia 6 de janeiro, data em que os Reis Magos visitaram Jesus.

Também com origem na Itália, a guirlanda refere-se a Roma Antiga, pois para os romanos oferecer um ramo de planta enrolada em uma coroa colocada nas portas, significava saúde para todas as pessoas da casa. Hoje em dia, representa prosperidade, fartura e recomeço.

COROA E CALENDÁRIO DO ADVENTO
Muito mais que um bonito objeto de decoração, a Coroa do Advento, período das quatro semanas que antecedem o Natal, Teve sua origem em 1.839, em Hamburgo, Alemanha, e foi usada como uma forma de relógio para as crianças de um orfanato, que ficavam ansiosas para a chegada do Natal. Seu formato simboliza a eternidade e suas folhas verdes, a esperança. Nela são colocadas 4 velas, que são acesas semanalmente aos domingos, podendo incluir na noite de Natal, uma 5ª vela no centro da coroa, representando Jesus. Há várias interpretações para os significados de cada vela e suas cores, que podem ser variadas ou não, mas o importante é trazer uma expectativa alegre e reflexiva de espera pelo Natal.

símbolos

Tradição tipicamente alemã que começou no século XIX, onde as crianças tinham o costume de desenhar um risco de giz na porta de casa para registrar a contagem dos dias até o Natal, o Adventskalender ou Calendário do Advento, é uma forma divertida de realizar a contagem regressiva para o Natal. Podem ser comprados ou confeccionados em casa e preenchidos com chocolates ou brinquedos. Atualmente, existem versões mais diferenciadas do Adventskalender: com joias, cosméticos e até mesmo cartões de loteria.

A cidade de Stuttgart, Alemanha, possui um dos maiores calendários do advento do mundo. Na contagem regressiva até o Natal, a cada noite, as 24 janelas iluminadas do prédio da Prefeitura se abrem, uma a uma, revelando o brasão dos 23 bairros da cidade.

símbolos

ANJOS E BENGALAS
Os anjos, representam o Anjo Gabriel que anunciou o nascimento de Jesus e também todos os anjos que celebraram no céu, o nascimento do filho de Deus.

Quanto às bengalas, simbolizam os cajados dos pastores de Belém que foram guiados até a manjedoura, a bengala em forma de doce, teve origem em 1.670, na cidade de Colônia, Alemanha, e era totalmente branca. Já em 1.844 ganhou listras coloridas e cerca de 40 anos depois, se transformou em enfeite que até hoje enfeitam as árvores de Natal.

ÁRVORE DE NATAL
O primeiro registro documentado de uma árvore de Natal, ocorreu em 1.510 na praça de Riga, capital da Letônia. Lá, existe uma placa traduzida em oito idiomas, indicando que ali esteve a primeira árvore de Natal. Mas foi somente no século XIX que esse símbolo natalino, se espalhou pelo mundo. Anteriormente, as árvores já costumavam ser enfeitadas com o propósito de comemorar a chegada do inverno e como o pinheiro é a única árvore que consegue manter suas folhas, mesmo no frio intenso, acabou se eternizando como um dos símbolos mais populares e tradicionais do Natal.

E o costume de colocar presentes embaixo da árvore enfeitada? Sua origem foi na Inglaterra, mas precisamente no palácio da Rainha Elizabeth I que em ocasião natalina, sem poder receber pessoalmente todos os presentes, pediu para que fossem depositados embaixo de uma grande árvore de seu jardim.

PAPAI NOEL
A origem do famoso “bom velhinho” está intimamente relacionada com São Nicolau de Mira, bispo nascido em Patara, Turquia, em 280 d.C. , que deixava moedas perto das chaminés dos mais necessitados durante a noite. São Nicolau é o santo padroeiro da Rússia, Grécia e Noruega.

símbolos

Já a representação moderna do Papai Noel surgiu nos Estados Unidos, onde Santa Clauss, uma adaptação de “Sinterklaas”, forma como São Nicolau era chamado pelos holandeses que levaram suas tradições natalinas para colônias na América, ganhou a aparência de um velhinho gordinho com barba e roupa vermelha, que se deslocava pelas casas com seu trenó. Na cultura americana, o Papai Noel vive no Polo Norte. Já na Europeia, ele vive na Lapônia, Finlândia e caso você queira escrever uma carta para ele, segue o endereço da sua aldeia: Tähtikuja 1, 96930 — Rovaniemi, Finlândia!

Mas se preferir, poderá acompanhar a rota completa do Papai Noel este ano! O Comando de Defesa Aeroespacial da América do Norte (NORAD), usando sensores militares e tecnologia, rastreia o Papai Noel ao redor do mundo desde 1.955. Assim, no dia 24 de dezembro, as crianças (e até adultos) conseguirão saber por onde ele anda! Saiba mais: www.noradsanta.org

GASTRONOMIA NATALINA

símbolos

PANETONE
Diz uma lenda popular, que o inventor do panetone seria um ajudante de cozinheiro do duque de Milão Ludovico Sforza, chamado Toni, que na véspera do Natal de 1.495, enquanto a corte de Sforza saboreava um belo banquete adormeceu e deixou queimar os biscoitos que seriam o desfecho do grande jantar do duque. Com medo da reação do chef, misturou alguns ingredientes como açúcar, passas e frutas cristalizadas à massa de fermento que havia guardado para o pão de Natal. O resultado foi um sucesso e Ludovico Sforza batizou como “pão toni”, se tornando popular em toda a Itália com o nome de “panetone”.

GINGERBREAD MAN
Usado como enfeite na árvore de Natal e também oferecido como mimo aos amigos nessa época do ano, o biscoito de gengibre é um sucesso entre os doces de Natal. Teve origem nas receitas medievais europeias, sendo adotado como tradição natalina pelo clero por volta de 1.800. E para você já entrar no clima de Natal, que tal se aventurar e fazer esses deliciosos biscoitos?

símbolos

[su_tabs active=”2″][su_tab title=”INGREDIENTES” disabled=”no” anchor=”” url=”” target=”blank” class=””]• 3 xícaras de farinha de trigo
• 2 colheres de chá de gengibre em pó
• 1 colher de chá de canela em pó
• 1/4 colher de chá de noz-moscada ralada na hora
• 1 colher de chá de bicarbonato de sódio
• 3/4 xícara de açúcar mascavo
• 3/4 xícara de manteiga sem sal em temperatura ambiente
• 1/2 xícara de melaço
• 1 colher de chá de extrato de baunilha
• 1 ovo
• 1/4 colher de chá de sal
• Glacê real para decoração[/su_tab] [su_tab title=”MODO DE PREPARO” disabled=”no” anchor=”” url=”” target=”blank” class=””]• Misture a farinha, as especiarias, bicarbonato de sódio e o sal em uma tigela grande.
• Na batedeira, bata a manteiga, o melaço e o açúcar mascavo até ficar bem claro e fofo e depois acrescente o ovo. Bata até incorporar e depois adicione o extrato de baunilha. Misture bem.
• Adicione a farinha aos poucos, batendo para incorporar a cada adição. Assim que a mistura do biscoito estiver pronta, pare de bater.
• Divida a massa em duas partes e faça 2 bolas. Abra as massas com um rolo, uma sobre a outra, separadas por papel manteiga, com uma espessura de 3mm a 6mm.
• Leve a massa à geladeira por pelo menos duas horas para torná-la mais fácil de trabalhar.
• Corte os biscoitos com cortadores em formato de Gingerbread Man, coloque em uma assadeira coberta com papel manteiga e asse a 180°C por 15 minutos, até que as bordas comecem a dourar. Deixe esfriar.
• Para decorar, utilize glacê real em um saco para confeitar e use sua imaginação![/su_tab] [su_tab title=”RENDIMENTO” disabled=”no” anchor=”” url=”” target=”blank” class=””]• 24 biscoitos [/su_tab] [/su_tabs]