ART DÉCO
A AMÉRICA SOB UM NOVO OLHAR

ART DÉCO – a América sob um novo olhar

[Publicado em 10/12/2021]

Movimento artístico que surgiu na Europa nos anos 20 e influenciou as artes, moda, cinema, arquitetura, design de interiores, carros, trens, transatlânticos e até objetos do cotidiano como rádios e aspiradores de pó, o Art Déco está presente até hoje, mas sua beleza e peculiaridade, muitas vezes, ainda passa despercebido devido à correria do nosso dia a dia.

Nesta matéria, trazemos para você a origem e as influências desse movimento que marcou época e que embeleza muitos edifícios, em sua maioria, nos Estados Unidos. Assim, quando você viajar para a terra do Tio Sam, poderá apreciar esse pitoresco e belo estilo sob um novo olhar! Confira!

O QUE É ART DÉCO E COMO SURGIU?

Quando a Revolução Industrial se estabeleceu, a vida contemporânea se tornou bem diferente das décadas anteriores. As pessoas visavam a modernidade e o desejo de avançar no novo século com muita inovação. Pensando nisso, um grupo de artistas franceses inovadores formou uma organização chamada Societé des Artistes Décorateurs e um dos principais objetivos, além de criar algo fora dos moldes clássicos e avançar rumo à modernidade, era desafiar a estrutura hierárquica das artes visuais que renegava os artistas decorativos, a um status menor do que os artistas clássicos.

O plano da organização, era realizar uma grande exposição para divulgar essa tão inovadora arte. E assim aconteceu: em 1925, mais de 15.000 artistas e designers de 15 países, participaram da Exposição Internacional de Artes Decorativas e Industriais Modernas, realizada em Paris. O evento foi um marco e a arte recebeu o nome de “style moderne” ou “Paris 1925”. Só em 1960, nasceu a expressão Art Déco, uma abreviação de Arts Décoratifs (artes decorativas em francês), que também é conhecido como “Estilo Anos 20”. Após a exposição, o estilo começou a aparecer com frequência nos sets de filmagens americanos. Logo, simbolizando o glamour de Hollywood, tornou-se popular nos Estados Unidos e também em outros países.

Sem base filosófica, ideologia ou alguma função, o Art Déco era apenas decorativo, possuindo um estilo luxuoso abundante destinado à burguesia enriquecida do pós guerra. No início, o Art Déco foi marcado pelo uso de muitas cores, brilho e estampas florais. Mas com o passar do tempo, o estilo foi recebendo influência do cubismo e passou a valorizar mais as formas geométricas, destacando linhas retas e circulares estilizadas, design abstrato ou inspirados em animais e raios de sol, e tendo uma presença marcante e revolucionária na arquitetura através das marquises, colunas, pilastras, escalonamento de andares, pontas angulosas e adornos em ziguezague.

A partir de 1933, ano da exposição Art Déco no MoMA (Museu de Arte Moderna de Nova York), houve um barateamento da produção, o que popularizou o estilo e o levou à objetos de uso doméstico, móveis, roupas, acessórios, e muito mais, através de uma combinação entre plásticos, concreto, metal e vidro, com materiais naturais como prata, marfim e madeira.

O estilo Art Déco até então “ímpar”, virou uma febre. Esse era o momento em que as pessoas queriam esquecer os traumas da Primeira Grande Guerra. Era um momento de muita mudança política e social, na Europa e também nos Estados Unidos. As pessoas queriam diversão e ansiavam com esperança, um futuro novo e moderno. O Art Déco expressava tudo que estava em voga na época e também representou isso, além das viagens e do lazer que também estavam em alta!

INFLUÊNCIAS EGÍPCIAS E MAIAS

A descoberta da tumba de Tutancâmon, em novembro de 1922, repercutiu, e muito, na sociedade da época, e claro, o Art Déco não poderia ficar de fora. O Egito estava presente em tudo: na moda, no design de interiores, nas artes gráficas, e em tudo que se pudesse imaginar. Um dos exemplos dessa “febre”, é o famoso Chrysler Building, em Nova York. Chamado de “joia decorativa com coroa de vidro”, o projeto do arquiteto estadunidense William Van Alen, estendeu o estilo Art Déco além da fachada, levando as influências egípcias até a porta dos elevadores, que fazem sucesso até hoje e constam em guias turísticos como ponto de interesse histórico.

Mas não foi somente essa importante descoberta egípcia que influenciou o Art Déco. A arte maia também foi muito influente na época. Enquanto as ruínas astecas já eram conhecidas anos antes, as descobertas maias eram recentes chamando muita atenção. Esse foi o motivo para que alguns edifícios apresentassem em sua arquitetura, elementos que lembrassem as pirâmides maias escalonadas, com o típico padrão ziguezague e “escadinha”, uma das marcas registradas do Art Déco.

ART DÉCO NA AMÉRICA

Se Paris é a capital do Art Noveau, Nova York é a capital do Art Déco. Lá, podemos apreciar vários edifícios construídos durante as décadas de 1920 e 1930: o American Radiator Building, com sua fachada preta e detalhes dourados e o Paramount Building, que demonstram bem a influência das pirâmides maias; o icônico Empire State Building com seus 102 andares no centro de Manhattan; o 30 Rockefeller Plaza e o General Eletric Building, que fazem parte do complexo de 19 edifícios comerciais também em Manhattan, sendo o último com uma super expressão do estilo, e a obra prima da arquitetura Art Déco americana: o emblemático Chrysler Building, com suas gárgulas de águias geometrizadas, remetendo ao ornamento do capô da Chrysler e raios de sol estilizados em sua coroa.

Já em Miami Beach, encontra-se o Art Déco Historic District, localizado entre a 5th Street e a 23rd Street, ao longo da Ocean Drive, Collins Avenue e Washington Avenue. Lá, você começará a notar os pitorescos prédios da área, com janelas de vigia e trilhos de metal curvados. Em particular, procure pelo Park Central Hotel ou The Gabriel South Beach, seu novo nome devido a reabertura em meados de outubro deste ano. Esse hotel, é uma joia Art Déco e já foi point das celebridades de Hollywood como Clark Gable, Carole Lombard e Rita Hayworth.

Aproveite e conheça também o Art Deco Museum and Welcome Center, que oferece exposições permanentes sobre os três principais estilos de design de Miami Beach – Art Déco, Mediterrâneo e MiMo –,  além do Art Deco Walking Tour, um passeio a pé de 1h30 que apresenta esses estilos in loco.

Outro destino americano com mais exemplos Art Déco, é a Califórnia: terra da glamourosa Hollywood! Em Los Angeles, pode-se apreciar o estilo, no Eastern Columbia Lofts: um edifício de 13 andares com rica decoração de raios de sol, formas geométricas e ziguezague, localizado no centro da cidade.

Próximo dali, em Beverly Hills, encontra-se o Teatro de Belas Artes, com um estilo geométrico limpo e marquise adornada com neon. A sensação é estar de volta aos anos 20!

ART DÉCO NO BRASIL

Você sabia que a estátua do Cristo Redentor é a maior escultura Art Déco do mundo? Considerada a capital do Art Déco na América Latina, o Rio de Janeiro contém um acervo de quase 300 prédios e construções, com elementos Art Déco na arquitetura, vitrais, escadarias, calçamentos, letreiros, luminárias e outros, que muitas vezes passam despercebidos dentro da paisagem urbana. Outros monumentos e edifícios que também representam esse encantador estilo aqui no Brasil, são:

• Viaduto do Chá – São Paulo
• Estádio do Pacaembu – São Paulo
• Monumento às Bandeiras – São Paulo
• Elevador Lacerda – Salvador
• Estação Central do Brasil – Rio de Janeiro
• Teatro Municipal – Goiânia

Post anterior
CÔTE D`AZUR: A famosa e elegante Riviera Francesa
Próximo post
CASTELOS DA ALEMANHA: ENTRE CONTOS DE FADAS E EXTRAVAGÂNCIAS

Nenhum Comentário

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*

*

Back
SHARE

ART DÉCO – a América sob um novo olhar